Porquê considerar software livre numa instituição de ensino?

Existe um grande número de razões para usar software livre numa Universidade, numa Escola Secundária, numa Escola do Ensino Básico, ou em qualquer outro ambiente educativo, quer seja um professor, um aluno ou um administrador.

O factor custo é de facto relevante uma vez que o software livre é na sua larga maioria gratuito. Contudo, não é este o ponto mais importante. Grande parte das licenças segundo as quais o software livre é produzido e distribuído, não colocam restrições significativas ao nível da sua cópia, instalação, redistribuição, estudo e modificação do código-fonte no sentido de servir determinada necessidade do
utilizador. A única restrição mais comum é a de que a redistribuição com ou sem modificações seja feita usando a mesma licença livre, mas por vezes, até essa é inexistente.

Sucintamente, ao utilizar software livre, poderá usufruir das seguintes vantagens:

Diversidade:

  • Existem mais de 100 000 aplicações livres disponíveis, que abrangem a
    maior parte das funcionalidades geralmente procuradas. A probabilidade
    de existir uma ou mais aplicações livres que sirvam as suas necessidades é muito
    elevada.

Interoperabilidade:

  • Muitas das aplicações livres são multi-plataforma (isto é,
    funcionam em vários sistemas operativos) o que lhe confere ainda mais
    liberdade;
  • Em geral, são usados formatos abertos e standards internacionais em aplicações livres. Por exemplo, o formato usado pelo Openoffice.org (ou Koffice, entre outros), suite que engloba processador de texto, folha de cálculo, apresentação de diapositivos, etc., é um standard ISO internacional. Assim, os seus dados poderão ser partilhados facilmente entre alunos e professores, estando garantido o pleno acesso à informação de uma forma socialmente justa;
  • Projectos como é o caso do Mozilla Firefox (navegador web) ou Apache (servidor web) também têm como preocupação o cumprimento de normas internacionais para que a sua experiência online corra da melhor forma.

Pedagógicas:

  • Os alunos poderão estudar os programas que utilizam, o que é impossível de fazer em produtos proprietários de código-fechado;
  • Alunos e professores com competências técnicas para tal podem
    implementar as funcionalidades que desejarem nos programas livres que
    utilizam e se assim o desejarem, partilhá-las com todo o mundo, dando
    visibilidade ao seu trabalho;
  • O trabalho em equipa muito habitual em projectos de software livre pode também ser visto como um grande promotor pedagógico.

Comunidade:

  • Poderá relatar erros, solicitar funcionalidades, traduções, etc.
    aos mentores do projecto que produzem determinado software. Em geral,
    estão sempre prontos a colaborar e são coadjuvados por uma comunidade
    de utilizadores e programadores de todo o mundo.

Legais:

  • Reduzir os riscos de eventuais ilegalidades no parque informático da
    instituição de ensino. Não existe qualquer possibilidade de problemas a
    nível de pirataria se usar software livre;
  • Copiar e redistribuir software entre alunos, professores e colegas de forma totalmente legal;

Preço:

  • Poupar dinheiro na aquisição e licenciamento de software
    proprietário. Poderá descarregar livremente software livre e instalá-lo
    em tantos computadores quantos aqueles que quiser;
  • Poupar dinheiro aos alunos da sua instituição de ensino, que poderão levar o software para casa e instalá-lo nos seus PCs;
  • As actualizações de software livre são gratuitas;
  • Ao poupar dinheiro poderá investi-lo em hardware ou em formação de alunos e
    professores.

Qualidade e Segurança:

  • Como o código-fonte dos programas de software livre é facilmente visível por milhares de programadores de todo o mundo, as eventuais falhas de segurança são corrigidas mais rapidamente do que no caso de software proprietário;
  • Além disso, como o código passa em geral pelos olhos de diversas pessoas antes de ser aceite, o software produzido é de elevada qualidade;
  • Dada a independência de fornecedores não terá que se preocupar com o facto de uma dada empresa não pretender corrigir eventuais falhas de segurança. Em alternativa, poderá solicitar ajuda à comunidade ou a especialistas, poderá corrigir as falhas por si mesmo, ou ainda usufruir de actualizações gratuitas.

Longevidade:

  • O período de vida do software livre é em geral elevado e raramente se
    torna obsoleto, uma vez que pode ser sucessivamente reutilizado por diferentes programadores. Isto garante-lhe uma experiência mais prolongada com o
    software e com os seus dados;
  • Dada a sua independência de fornecedores e as actualizações gratuitas ao software o período de vida do software que utiliza é também prolongado.

OUTRAS REFERÊNCIAS

Why Educational Institutions Should Use and Teach Free Software

Deixar uma resposta